Uma Conversa com A Irmã White

Uma Conversa com A Irmã White em Santa Helena em 8 de junho de 1910


* Este material trata-se de uma carta explicativa de F. C. Gilbert a J. S. Washburn junto com transcrição da conversa que F. C. Gilbert teve com a Irmã White em 8 de junho de 1910 a respeito da questão do [sacrifício] diário de Daniel 8:11-13 reprovada pela Irmã White que A. G. Daniells e W. W. Prescott estavam causando alvoroço. Junto com a carta e a transcrição fora enviado um artigo de F. C. Gilbert sobre o tema (ainda não traduzido).

O Material encontra-se em domínio público e o original, em inglês, poder ser acessado no site adventpioneerbooks.com

Tradução: Hugo Martins.


Carta Explicativa de F. C. Gilbert a J. S. Washburn

Caro Irmão Washburn,

Recebi a sua carta ontem e fiquei contente em saber que você está em casa novamente. Espero que você tenha um momento agradável durante a sua estadia em Takoma Park.

Estou enviando com a cópia deste artigo, mais propriamente, uma conversa que eu tive com a Irmã White. Tenho que falar com você a respeito dessa conversa. Lembre-se, por favor, que a Irmã White não escreveu isto. Ela começou a me dizer uma série de coisas. Percebi, então, que o que ela tinha a dizer era importante, assim que ela começara a falar. Peguei, então, um lápis e comecei a anotar o que ela dizia. Então, assim que eu pude, após ela terminar o que tinha a dizer, transcrevi o que ela disse, o que tinha anotado no papel enquanto ela falava, usei uma máquina de escrever e o que envio a você é o resultado. Senhora McEntefer, sua secretária, cuidadora e companhia de viagem, estava presente, o que me fez sentir bem quando tivemos essa conversa.

Senti ser necessário a mim dar-lhe esta explicação, para que, no caso, se você tiver a ocasião de dizer qualquer coisa a qualquer pessoa acerca deste assunto, você tenha o parecer correto e para que ninguém, nem você, nem eu, tivesse problemas por qualquer informação mal interpretada.

Eu não sei de mais ninguém, além de você e eu, que tenha este documento. Imaginei, então, que ficaria tudo bem em deixá-lo ciente disto.

É sempre bom ter notícias suas. Talvez, em qualquer momento, eu possa enviar-lhe um artigo ou dois que possam ser de seu interesse.

Sinceramente, seu irmão em Cristo,

F. C. Gilbert

Uma Conversa com A Irmã White em Santa Helena em 8 de junho de 1910

Houve uma repreensão dada a Daniells e Prescott na época da Conferência Geral em Washington. Prescott queria que ele e suas ideias tivessem influência entre o povo. Se assim o fosse, eu sei que ele teria o resultado almejado. Temos uma mensagem decisiva para dar ao mundo e não queremos causar alvoroço por causa de um detalhe que não interfere em nossa salvação. O que eles estão tentando fazer é propagar um monte jotas e tiles.

Foi a mim mostrado o caso de Prescott e vi que ele deveria se empenhar em assuntos mais importantes. Houve um documento apresentado a nós o qual ele estava olhando por alto e se empenhando em tentar encontrar algo que fosse diferente do que os outros tivessem. Não havia nada nisso que fosse de serventia alguma ao povo; e, portanto, deveriam eles usar o seu tempo em propagar a mensagem e fazendo a obra que deveria ser feita nas cidades.

Eles tinham que estar buscando alguma coisa nova, e, naturalmente, procedendo assim, eles não dariam aos irmãos mais antigos na causa qualquer chance de dizer o que esses irmãos mais velhos soubessem sobre os dias prímevos da mensagem. No trabalho que estão tendo com isso, desperdiça-se horas e horas do tempo do povo e não é de serventia alguma. Temos uma questão de vida oi morte a tratar e o que é necessário é ensinar o povo como encontrar esta grande e vital mensagem decisiva.

Quando eles não aceitaram a minha mensagem de repreensão, eu sabia o que eles iriam fazer e sabia o que Daniells faria para causar alvoroço entre o povo. Eu não escrevi a Prescott em virtude de sua esposa estar muito doente, então, não achei que fosse o melhor momento para escrever a ele. Daniells veio até aqui me ver, não o quis ver de modo algum e não tinha qualquer coisa a declarar a ele acerca de coisa alguma. Sobre este [sacrifício] diário que eles estão tentando propagar, não há nada de importante e não é um ponto de provação do caráter. O que queremos é saber dos assuntos que são vitais e que afetam a nossa salvação.

Não há a menor necessidade deste tipo de tema ser levado ao povo; eles afastam o povo da verdadeira obra vital da mensagem e não há nada significativa nesse assunto que eles estão causando agitação.

Eu apenas escrevi ao Ancião Daniells para se dedicar ao trabalho feito nas cidades. Esta é a obra que deveria ser feita e não deveriam se preocupar com quaisquer outras coisas. Quando eu estava em Washington, parecia existir algo que fechava as suas mentes e não acho eu que pude sensibilizá-los. Não temos nada a ver com esta questão do [sacrifício] diário; nós temos que ter as nossas mentes voltadas para pontos mais vitais da mensagem.

Quando dei a eles a minha mensagem e vi o modo com a trataram, eu sabia que Senhor se oporia a eles. Eu sabia que eles se oporiam a minha mensagem e, então, o povo não imaginaria que houvesse algo importante nela. Eles estão afastando as mentes das pessoas da mensagem decisiva para este tempo. Eu escrevi e lhe disse que ele não estava demonstrando aptidão para ser o presidente desta Conferência Geral. Ele estava demonstrando não ser o homem para ocupar a Presidência.

Se esta mensagem do [sacrifício] diário fosse uma mensagem decisiva, o Senhor teria revelado a mim. Essas pessoas não veem no que resultará este tipo de coisa. Esta obra que eles estão fazendo é dividir o povo de Deus e afastar a suas mentes das verdades decisivas para os dias finais. Eu, absolutamente, me recuso a ver qualquer um daqueles que estão engajados nesta obra.

A luz que me foi dada por Deus é que o Irmão Daniells tem permanecido na Presidência por tempo mais do que o suficiente. Ele esteve ali enquanto Deus assim o queria. Quando ele vem até aqui e afasta o povo como ele tem feito, para o Senhor, ele não tem mais utilidade como o Presidente da Conferência Geral e eu disse que não teria mais qualquer conversa com ele sobre qualquer assunto assim.

Não quis ver Daniells para tratar deste assunto e não teria uma única palavra a lhe dizer. Eles insistiram comigo para que eu conversasse com ele, mas eu não tinha nada a tratar com ele. Eles têm causado confusão na mente do povo com estas coisas.

Deus está testando esses homens e eles estão demonstrando como estão saindo no teste e como eles estão a considerar os Testemunhos. Eles têm me mostrado por suas ações quanta confiança eles têm nos Testemunhos. Eu disse ao nosso povo que eu não tenho nada a ver com esta coisa que eles estão ensinando. Não foi dada atenção alguma a eles, pois não há nada nisto que seja de serventia alguma; eles devem ter algo que ninguém mais tem. Não há nada decisivo neste assunto; não há questão de vida ou morte a se tratar, seu propósito é, simplesmente, distrair a mente e desviar o foco da verdade presente. Você vê que não há nada a tratar e que a luz que me fora dada era que fui proibida pelo Senhor de dar atenção a isto.

Eu tenho declarado não ter o menor respingo de confiança nisto. Eu vi que eles tinham um documento em suas mãos e queriam ser ouvidos sobre esta questão em Loma Linda; mas vi que eu não tinha nada a tratar sobre isto e que não havia nada a ser feito.

Eu vi o porquê Daniells estava levando adiante este assunto a todo canto: ele sabia que eu me oporia a isso. Este é o porquê eu sabia que ele não resistiria a reprovação. Eu sabia que ele não daria ouvidos. Chegou o tempo em que sua presidência dever ter um fim. Ele tem estado ali por muito tempo. Esta coisa inteira que eles estão fazendo é obra do demônio. Ele tem sido presidente por muito tempo e não deveria estar mais ali.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.